CASA COR assinará projetos imobiliários.  “O mercado imobiliário brasileiro anda tão padronizado e saturado que pede algo novo. Queremos revolucionar esse setor com um novo conceito de morar”, explica Angelo Derenze, presidente do Grupo CASA COR.

Entre as inovações e desenvolvimento de novos modelos de negócios em 2014, o Grupo CASA COR cria  conceito imobiliário pioneiro aliado ao design no Brasil em  parceria com Maurício Eugenio. A Casa Cor é uma grife que aposta em sucesso e sofisticação - muito além de simples luxo.

Unanimidade de espírito " universo onde não é apenas morar, é um estilo de vida"

Os empreendimentos com a marca CASA COR serão exclusivos. Haverá somente uma edição em cada região, com autorias e conteúdo únicos, gerando um projeto rico em diferenciais. “Os novos lançamentos imobiliários com a marca CASA COR possibilitam a venda de unidades com valor de metro quadrado diferenciado, assinado por grandes nomes da arquitetura e design do Brasil”, ressalta Angelo.

A iniciativa é pioneira no Brasil e reflete a tendência de grandes marcas do mercado de luxo internacional de expandir sua atuação explorando os atributos de marca em setores novos, a exemplo de empreendimentos como a Porsche Design Tower em Miami, o Ferra Luxury Residential assinado pela Pininfarina em Cingapura e os hotéis Armani, em Milão e Dubai, e Bvlgari, em Milão, Londres, Bali, Tóquio e Xangai


Perfil: Maurício Eugenio
Maurício Eugenio criou junto com Marinaldo Macedo e Hélio Vergara a Elite Brasil que atua na comercialização de imóveis e investe fortemente em Pesquisa e Tecnologia para auxiliar seus clientes incorporadores na definição de produtos e estratégias de vendas. Com apenas 4 anos já está entre as 5 maiores imobiliárias do estado conforme Ranking do Embraesp e como empresa de capital fechado é a 2º entre as maiores.

Em breve mais informações para edição de CASA COR ESPÍRITO SANTO 2014


Fonte: CasaCor,  Estado.

Poesia: Uma homenagem à Rua Sete e seus personagens.

Espero você, neste sábado, dia 31 de maio, no Ateliê Casa Aberta Espaço Moda & Arte para um manhã de muita poesia.
Estaremos unindo arte e as criações de Stael com o meu projeto de extensão "Domingo com Poesia" do Câmpus Nova Andradina/IFMS.
Neste sábado (31/05/2014). Rua Sete de Setembro,263, a partir 9h da manhã.
Centro - Vitória -ES

(e aproveitaremos a Feira da Rua Sete e o Samba da Xepa).
A artista Naif Angela Gomes está vivendo um grande momento, vai lançar um livro“A Arte Naif Capixaba".

A responsável pela transformação deste projeto/sonho em um projeto original, atraente, que divulga e valoriza a arte capixaba foi a coordenadora editorial Márcia Salvátice Tourinho.

O Livro: “A Arte Naif Capixaba", tem 200 páginas, e é um livro catálogo das obras da artista, que retratam paisagens, folclore e monumentos históricos do Espírito Santo, além da trajetória artística de Angela.

Hoje com uma carreira consolidada e com grande visibilidade nacional e internacional, Angela vivência momentos muito especiais em suas exposições,  sempre prestigiada a artista consegue divulgar e valorizar a arte Naif . Vamos juntos aproveitar essa oportunidade para conhecer ainda mais a artista, sua trajetória e um pouco sobre esta linguagem artística.

O termo “Arte naïf” surgiu através do apelido que foi usado para designar tanto a pintura quanto a personalidade de Henri Rousseau em 1890, um pintor autodidata admirado pela vanguarda artística dessa época, que incluía gênios como Picasso, Matisse e Brancusi, entre outros. Rousseau foi o primeiro naïf moderno a ser exposto e valorizado, considerado o pai da arte naïf segundo Lucien Finkelstein.

A partir da obra de Rousseau a crítica passou a considerar os artistas e obras não oriundos de movimentos artísticos ou escolas de arte, como de grande interesse, devido a originalidade, pureza e técnicas não formais presentes nas pinturas.

Assim como, Rousseau, Angela colocou seu trabalho no mundo, autodidata, em 1981 Ângela Gomes realizou a sua primeira exposição individual. Nenhum convidado compareceu, apenas ela e o fotógrafo contratado. Mas o que era para ser motivo de desistência transformou-se em incentivo para continuar, lutar e vencer; a falta do apoio familiar, o preconceito social e o descrédito profissional continuaram até se definir por volta de 1987, pela pintura Naïf, após rápida convivência com Raquel Galena, pintora do gênero, no Embu das Artes em São Paulo.

Hoje, a artista é referência na arte Naif no Espírito Santo e seu trabalho possui visibilidade mundial.Seu universo poético nos convida a conhecer mais, e a apreciar o Espírito Santo. Em sua obra, os elementos principais são paisagens regionais, elementos iconográficos, cenas que expressam a arte e a tradição popular – o povo, seus usos e costumes são nítidos ao longo de seu portfólio. Suas telas são livres, autenticas,  alegres com cores vivas, possuem um caráter descritivo minucioso, originárias da subjetividade e da imaginação criadora desta profissional avessa à tradição e ao sistema artístico.

Com mais de 50 exposições Angela já expôs em lugares como o Salão de Arte da cidade de Porto, em Portugal; o Museu de Arte Contemporânea de Campinas, Casa Porto das Artes Plásticas, na extinta Galeria de Arte Escelsa, Galeria Homero Massena, Bienal Brasileira de Arte Naif  e o Museu Internacional de Arte Naif, no Rio de Janeiro.

Em seu universo poético Angela retrata o Espírito Santo sob a visão idealizada e a presença de elementos do universo onírico são  comuns em sua obra.
Além do lançamento do livro, Angela fará uma exposição com 20 trabalhos, em tamanhos variados e ficará em cartaz até o dia 29 de julho, na Galeria do Acervo do Palácio Anchieta.

Vamos juntos conhecer esse universo poético através do pintura Gomes, natural de Cachoeiro de Itapemirim,
e há 30 anos começou a trabalhar profissionalmente como artista plástica. Atualmente possui um ateliê em Vila Velha, Espírito Santo.

" Uma arte em que o gosto é individual e vai pela emoção" afirma.

O livro “A Arte Naif Capixaba" será distribuído para os convidados.

Serviço:
Lançamento do livro e exposição da artista Ângela Gomes
Data: quinta-feira (29)
Horário: 19 horas
Local: Palácio Anchieta
Entrada gratuita


Fotografia: Acervo
Projeto EADR - Consultora de Arte: Mapeamentos de Artistas

Referencias utilizadas: Jornal A Gazeta, Acervo pessoal.

 Assim como a vida da gente a saccaro criou uma linha de sofá que se renova, cria novas experiências e organiza o espaço, a vida.

A Arte e a vida sempre se misturaram, hoje vivêncio isto nesta brincadeira que foi estar presente neste ambiente na saccaro, Sala Azul, coincidência ou não o apelido do marido é Neo, um homem muito bom, com contornos nítidos, caracter e bom censo, sempre organizado,  adora experimentar novas experiências, e aproveitar a vida em família.
E foi assim rindo na madrugada sozinha que descobri que meu marido virou um sofá. rsrs.. não um sofá qualquer um renovado.


 este ambiente detalhe para diferentes texturas dos tecidos (todos em azul) uma proposta pra o ambiente


Renovação, experiência de mudança e organização de espaços.
Esta é a proposta da Neo, uma coleção de estofados de linhas retas e visual geométrico, quebrados pelo detalhe de costura que brinca com o contorno. As almofadas soltas servem como moderador de profundidade. Seus módulos possuem diferentes tamanhos e podem ser utilizados em várias configurações.

Criação do Sofá Neo: Design Studio Saccaro.
 Os designers do Studio Saccaro buscam inspiração agregando pesquisas relacionadas ao mercado, as experiências vivenciadas no dia a dia de produção e as características da marca Saccaro. Os projetos elaborados pela equipe buscam inspirações nas mais diversas fontes: observando a interação do homem com os elementos naturais, acompanhando as tendências mundiais, pesquisando a respeito da história, analisando as diversas experiências entre as pessoas – tudo o que cerca o ser humano é passível de inspiração e pode se tornar um bom projeto.







Trabalhos de Dayse Egg de Resende, 2014.























A coleção 2014 da Saccaro já está na loja de Vitória.

A grife de móveis traz peças exclusivas para área interna assinada por designers renomados, como Roque Frizzo, Emerson Borges, Ana Revello Vazquez e Renato Solio, além dos profissionais do Studio Saccaro e no time local de criativos, obras de arte das artistas plásticas Ana Paula Castro e Dayse Egg de Resende.

A arte esta ligada ao Design de Interiores, desde seu surgimento, a forte influência dos movimentos artísticos, sua ousadia e a irreverência, é determinante em vários estilos e processo de criação para peças de mobiliário e design ou arquitetura de interiores ao longo da história do mobiliário mundial.

Atualmente, estes e as novas tecnologias são conectivos que ligam o Design de modo geral a arte. Ela está presente diretamente e juntamente com a criatividade dos designes, de maneira lúdica, ousada e sempre com o objetivo da interação do espaço e seu usuário.
Obras de arte Escritório de Arte Dayse Resende: Alex, Dalton de Paula

Obras de arte da produção autoral dos artistas foram incorporadas aos ambientes montados para apresentar a nova coleção inspirada na natureza e com texturas que apostam no artesanal e no sensorial para inovar, com linhas geométricas, composições diferenciadas e mistura de materiais e acabamentos.

Gostaram? Tem mais inspiração em nosso site no item ambientes, vai lá.




Trabalho de Ana Paula Castro


 Ambientação: Ronan Cardoso
Mobiliário: Saccaro
Post: Dayse Resende
Fotografias: EADR, acervo saccaro.

Casa Porto de Artes Plásticas reabre nesta quinta-feira com exposição

Reabertura da Casa Porto

Exposição "Dos Salões à Bienal do Mar" vai marcar a reabertura da Casa Porto das Artes Plásticas

Reabertura da Casa Porto
Mostra faz uma releitura da história dos Salões do Mar
Importante espaço para a cena cultural do Espírito Santo, a Casa Porto de Artes Plásticas retoma suas atividades nesta quinta-feira (8), às 19 horas, depois de um período de reformas em sua sede – um histórico prédio de 1903 localizado no Centro de Vitória.

A casa, que já abrigou exposições de artistas locais e nacionais, volta a receber mostras em seu amplo salão, além de novas ações pautadas pela promoção da cultura e da arte, com palestras, residências artísticas, debates e oficinas.

A reabertura contará com a exposição "Dos Salões à Bienal do Mar" – um recorte histórico da trajetória das Bienais (antigo Salão do Mar), criadas em 1999 como resultado de uma parceria entre a Capitania dos Portos e a Secretaria Municipal de Cultura (Semc).

A mostra reúne obras premiadas em várias edições de Bienais e Salões do Mar. São 11 artistas contemporâneos, entre eles Fabrício Coradello, Irineu Ribeiro, Jean R., Juliana Morgado, Júlio Tigre, Anníbal e Branca, Júlio Schmidt, Piatan Lube, Lourival Cuquinha Batista, Maruzza Valdetaro e Sérgio Câmara, que serão a base para a reabertura de um novo diálogo entre gerações de artistas com a população do entorno e com a cidade de Vitória, estabelecendo relações com o Estado e com o Brasil.

"A ideia desta exposição é de que a reabertura da Casa Porto de Artes Plásticas valorize a memória artística local e do entorno da casa, além de sua reinserção no cenário como um espaço fomentador de cultura. Eu vejo a Casa Porto como um espaço multifacetado, vivo e dinâmico, com grande potencial de ser capacitador, de formar público, de artistas, para o munícipe, para quem mora no entorno", afirma o coordenador da Casa Porto, Reinaldo Freitas Resende.

Reabertura da Casa Porto
Mostra reúne obras premiadas em várias edições de Bienais e Salões do Mar
André Sobral
Artistas na Casa Porto
Artistas locais e nacionais poderão expor seus trabalhos no local
Releitura

Responsável pelos reparos no acervo e pela montagem da exposição, o artista plástico Júlio Schmidt, que também participa da mostra com obras de sua autoria - "Atum sólido ao natural em água e sal", "Sardinhas em molho de tomate" e "Sardinhas em óleo comestível" -, adianta que, na reabertura, o público poderá conferir a ilustração de um momento da história artística do espaço. "Vamos mostrar o que foram os Salões do Mar em uma releitura dessa história. Como cidadão, eu acho que o Estado precisa de locais como esse, em que se tenha esse olhar de conservação e manutenção de acervo", disse Júlio.

O artista plástico Irineu Ribeiro, de Linhares, que recriará sua instalação "Elo – Mixta" - uma corda gigante inspirada no dia a dia no mar -, fica feliz em participar. "É muito bom participar, poder mostrar a minha arte neste espaço importante. Minha obra buscou inspiração no mar, a partir da minha experiência como marinheiro. Espero que as pessoas gostem", adianta Irineu.

Para a secretária de Cultura em exercício, Andreia Carvalho, a reabertura do espaço é um marco para a cultura de Vitória. "Trata-se de um lugar fundamental para todas as expressões artísticas e que deve voltar a ser um polo promotor e propagador de cultura em nossa cidade", afirma.

Andares

Após a reabertura, a Casa Porto terá todo o seu primeiro andar voltado para oficinas e acervo técnico (que conta com mais de 200 obras); o segundo andar receberá exposições.

Ao lado do prédio, foram construídos um anexo para a parte administrativa e uma nova estrutura: o Ateliê do Artista Residente, onde artistas poderão desenvolver seus projetos (a partir de um edital de residência artística). Além disso, a Casa Porto de Artes Plásticas vai sediar exposições de artistas locais e nacionais e eventos culturais.

O local está situado à praça Manoel Silvino Monjardim, no Centro, onde funcionava a Capitania dos Portos.

Serviço

Reabertura da Casa Porto das Artes Plásticas - Exposição "Dos Salões à Bienal do Mar"

Quando: nesta quinta-feira (8), às 19 horas

Entrada gratuita

Artistas da exposição

Anníbal e Branca (SP)
“Leda e o Cisne”
Sacos de sal marinho
7º Salão do mar

Fabrício Coradello (ES)
“Não esqueça o colete salva-vidas”
“Indispensável protetor labial”
“Cuidado com as lentes de contato”
Objetos
3º Prêmio – 2º Salão Capixaba do Mar

Irineu Ribeiro (ES)
“Elo – Mixta”
Instalação – 9m²
2º Prêmio – 5º Salão Capixaba do Mar

Jean R. (ES)
Sem título
1º Prêmio – 1º Salão Capixaba do Mar

Juliana Morgado (MG)
Coordenadas 1 (série marcos)
Plotagem, adesivo e recorte
Grande Menção Honrosa Capitania dos Portos – 6º Salão Capixaba do Mar

Júlio Tigre (MG)
“Mare Ab Amaro”
Instalação
1º Prêmio – 2º Salão Capixaba do Mar

Júlio Schmidt (ES)
“Atum sólido ao natural em água e sal”
“Sardinhas em molho de tomate”
“Sardinhas em óleo comestível”
Tintas acrílicas e esmalte, sobre madeira e adesivos.
1º Prêmio – 3º Salão Capixaba do Mar

Lourival Cuquinha Batista (PE)
“Varal”
Roupas, corda de seda, linha e cidade
Prêmio – 7º Salão Capixaba do Mar (2006)

Maruzza Valdetaro (ES)
“Roupa para sereia”
Objeto
3º Prêmio – 3º Salão Capixaba do Mar

Piatan Lube (ES)
“Caminho das águas”
8º Salão Bienal do Mar

Sérgio Câmara (ES)
“Boias para náufragos”
Plotagem sobre câmaras de ar
3º Prêmio – 6º Salão Capixaba do Mar

Elizabeth Nader
Casa Porto reformada
Casa Porto teve a sua fachada reformada e foi ampliada
André Sobral
Artistas na Casa Porto
Histórico prédio de 1903 está localizado no Centro de Vitória

Varal de Poesia na Costa Pereira,  no dia 29/05, no projeto da comunidade do Centro de Vitória - ES.
Nesse oportunidade, Igor Silva fará uma pequena homenagem a Dona Felicidade.
Hoje, fui na casa dela e a convidei. Ela disse que fará todo esforço para participar.
É uma oportunidade interessante para que continuemos a dar visibilidade  à Literatura produzida no ES além de prestigiarmos a homenagem que fará à Felicidade.Amplio o convite a todas vocês que poderão ajudar a declamar e divulgar mais ainda a literatura capixaba e sul-mato-grossense...

Vale a pena!!


Contato com Igor Silva: igor.silva@ifms.edu.br

Aproveite a oportunidade e conheça a Casa Aberta da Stael.

:

Conheça também o blog letra e fel.
Confira as fotos da Exposição "Olhares de Joana Darc Forte, uma pintora Naif"

A inspiração vem da imaginação solta, incontida e povoada por personagens tão variados que vão da mitologia cristã às lendas modernas produzidas pela TV. Adão e Eva, com sua Árvore da Vida e da Sabedoria, do livro do Gênesis, da Bíblia; São Francisco de Assis, o santo mais popular da Igreja; sereias de lendas; Iemanjás saídas dos cultos afro-brasileiros; artistas de cinema, como Marylin Monroe; e a bela gaúcha Ieda Vargas, primeira brasileira a conquistar o título de Miss Universo.




Gustavo Feu e Nona Rostagno
  O tempo, a arte, o artista e o espaço 2014 arte naif, Joana D'arc Fortes, Praia do Suá, Vitória, Brasil. Quando chegou a Vitória, há exatos 15 anos atrás, Joana não sabia, mas estava preparando material pra sua primeira exposição individual, que viria acontecer em 2002. Agora, ela realizará sua segunda individual, em um espaço novo aos olhos de quem acompanha o circuito de artes plásticas do ES: o Espaço de Arte Mokito Okada, pertendente a sede do Johrei no ES, na Praia do Suá, em Vitória. A arte da mineira de Barbacena, cidade conhecida por suas rosas mas chegou ao Estado e logo foi considerada Naif, talvez por ter levado um imaginário pitoresco para um suporte clássico como a tela. O que a arte naif da Joana se propõe, é gerar o equilíbrio de cores, feito de forma tropicalesca, e com uma posição quase arqueológica perante o quadro no tripé de pintura. O quadro é um deleite, um espaço de sonhos mais pra quem pinta, mas também pra quem o aprecia, senão, o decifra.   Gustavo Feu



Luiza Cristina


Bete Caser

Elizabeth Name




Com tinta acrílica sobre tela, a pintora Joana D’Arc Fortes constrói uma obra muito pessoal que lhe garantiu um espaço no movimento cultural capixaba. Participou dos três Salões do Mar na Casa Porto, no início dos anos 2000. Num deles, sua Iemanjá ganhou “Menção Honrosa”. Teve trabalhos expostos em coletivas do Sindicato dos Artistas. Um pouco antes, fez uma exposição individual na Galeria Homero Massena sobre mulheres à frente de seu tempo.







Os quadros de Joana D’Arc são compostos por figuras muito singelas, em meio a várias imagens que as simbolizam. A Marylin aparece com batom e unhas dos pés vermelhos e brincos compridos, no vestido branco esvoaçante que a deixou famosa; a artista capixaba Nice Avanza, com cacaueiros, pássaros e flores da fazenda em Linhares; a heroína Maria Ortiz e sua panelinha de breu, com que ajudou a expulsar os piratas da baía de Vitória; a bela Luz de Fuego, também capixaba, dançando nua com as serpentes.  E as cores fortes, vivas, vibrantes, que não se misturam como na pintura clássica. Nada de perspectiva, nuances de claro/escuro. A obra de Joana D’Arc passa longe dos preceitos da arte mais convencional. ”Pinto o que eu gosto, o que imagino”, explica.











Daiana




Adoro quando recebemos visitantes








Em breve mais fotos da tarde de abertura.
Fotografia: Daiane, Dayse Resende.
Apoio: Escritório de Arte Dayse Resende

Curadoria: Dayse Resende
Espaço de Arte Mokiti Okada
Horário: de segunda a sexta das 9 as 20h e sábados das 9 as 18h. Situado a rua General Câmara 212 - Praia do Sua - tel 3325.3054
Exposição com obras  da  artista Joana D'Arc
De 22 de maio a 30 de junho de 2014.




Apoio: