Olhares de Joana Dárc Fortes, uma pintora Naif em exposição no Espaço cultural Mokiti Okada.


Exposição da artista plástica Joana Dárc Fortes estreia no próximo dia 22 de maio e convida o público para conhecer um pouco mais do universo da pintura Naif.

Olhares de Joana Dárc Fortes, uma pintora Naif
em exposição no Espaço de Arte Mokiti Okada, Vitória, maio de 2014.

 Pinturas de Joana Darc Fortes com curadoria Dayse Egg de Resende


O Espaço Mokiti Okada, localizado General Câmara 212 - Praia do Sua, abre as portas nesta quinta-feira, as 16:00 para  a abertura da exposição "Mulheres, à frente de seu tempo" olhares e pinturas naif de Joana Dárc Fortes.. Sua obra transita entre imagens de sua imaginação,  cenas e lendas modernas da tv, da cultura local,  das memórias de Vitória x Minas.

A mostra vai até o dia 30 de junho de 2014 e a entrada é franca. 


As pinturas de Joana D’Arc Fortes 
Texto de Andrea Curri

A inspiração vem da imaginação solta, incontida e povoada por personagens tão variados que vão da mitologia cristã às lendas modernas produzidas pela TV. Adão e Eva, com sua Árvore da Vida e da Sabedoria, do livro do Gênesis, da Bíblia; São Francisco de Assis, o santo mais popular da Igreja; sereias de lendas; Iemanjás saídas dos cultos afro-brasileiros; artistas de cinema, como Marylin Monroe; e a bela gaúcha Ieda Vargas, primeira brasileira a conquistar o título de Miss Universo.  
  
Com tinta acrílica sobre tela, a pintora Joana D’Arc Fortes constrói uma obra muito pessoal que lhe garantiu um espaço no movimento cultural capixaba. Participou dos três Salões do Mar na Casa Porto, no início dos anos 2000. Num deles, sua Iemanjá ganhou “Menção Honrosa”. Teve trabalhos expostos em coletivas do Sindicato dos Artistas. Um pouco antes, fez uma exposição individual na Galeria Homero Massena sobre mulheres à frente de seu tempo.
Os quadros de Joana D’Arc são compostos por figuras muito singelas, em meio a várias imagens que as simbolizam. A Marylin aparece com batom e unhas dos pés vermelhos e brincos compridos, no vestido branco esvoaçante que a deixou famosa; a artista capixaba Nice Avanza, com cacaueiros, pássaros e flores da fazenda em Linhares; a heroína Maria Ortiz e sua panelinha de breu, com que ajudou a expulsar os piratas da baía de Vitória; a bela Luz de Fuego, também capixaba, dançando nua com as serpentes.  E as cores fortes, vivas, vibrantes, que não se misturam como na pintura clássica. Nada de perspectiva, nuances de claro/escuro. A obra de Joana D’Arc passa longe dos preceitos da arte mais convencional. ”Pinto o que eu gosto, o que imagino”, explica. 

Como entender essa arte aparentemente tão simples, tão singela, que parece feita por criança? Para os franceses, seria arte naïf (ingênua), ligada ao folclore e à cultura popular. Já o pesquisador Jean Dubufet a chamaria de Art Brut, uma arte desprovida de qualquer influência de escolas, estilos, e muito menos do mercado que move as galerias tradicionais de arte. Uma arte feita por autodidatas, de forma muito espontânea e, sobretudo, autêntica. Quem conhece Joana D’Arc não tem dúvidas. Sua arte vem de dentro, é feita com a força da sinceridade. 

Andrea Curri

Serviço
Exposição
Coquetel de abertura: 22 de Maio as 16:00 
Curadoria: Dayse Resende

Espaço de Arte Mokiti Okada
Horário: de segunda a sexta das 9 as 20h e sábados das 9 as 18h. Situado a rua General Câmara 212 - Praia do Sua - tel 3325.3054
Exposição com obras  da  artista Joana D'Arc
De 22 de maio a 30 de junho de 2014.

Para conhecer mais veja em Artistas Joana Dárc - veja: Artista
Mini Currículo Joana D’arc Fortes

Mineira de Barbacena, Joana Dárc Fortes vive e trabalha em Vitória desde 1999.
Participa de diversas mostras coletivas: Galeria do Centro de Artes – UFES; Espaço Cultural Yazigi, Galeria de Arte Sandra Resende, Centro Cultural da UFMG-MG. Foi selecionada para o 5º Salão Capixaba do Mar 2003/2004; 1º Salão Capixaba do Mar 1999-2000; 4º Salão Yazigi de Arte no Espírito Santo. 2001/20002; I Salão de Arte de Vitória - Vitória –ES. Foi Menção Honrosa no 3º Salão Capixaba do Mar 2001/2002 e recebeu o Grande prêmio do Júri – 1º lugar - Mostra Coletiva do 33º Festival de inverno da UFMG - Centro Cultural da UFMG –BH- MG.
Realiza sua 1º individual na Galeria Homero Massena em Vitória - ES, 2013 X Vitória em arte - Palácio Anchieta- Vitória ES.

O trabalho
A figuração da pintura de Joana é fruto de sua memória, de suas aspirações, da sua criação católica, do sincretismo brasileiro, das vivências de sua infância, dos livros que lê e das notícias de televisão. Seus procedimentos de composição e execução formais, apesar de simples, não baseados nos padrões clássicos, como perspectiva, lei áurea e proporções, são autênticos em expressão, ao modo de representar. Há várias características que sustentam o caráter contemporâneo do trabalho de Joana D’Arc Fortes, no entanto não exaurimos as associações, ou as propostas de leitura para seu trabalho. O que segue são apontamentos encontrados em algumas obras: A fusão da escrita e a pintura; A retomada da pintura, como linguagem artística; A utilização de códigos visuais de diferentes tempos e espaço; A forte relação com a identidade da autora; o uso de temas do senso comum, apropriados para o contexto de obra de arte; o tratamento conceitual, valorizando o campo simbólico como espaço de diálogo do real com o imaginário, trazendo para o trabalho artístico uma experiência pessoal; e a apropriação de uma linguagem, sendo rediscutida aqui: o Primitivismo.

 Dayse Resende
Artista plástica/Pesquisadora e consultora de Arte

Nome artístico: Joana D’ arc Fortes
Nome: Joana D’arc Fortes
Natural de Barbacena – MG; Vive e trabalha no Espírito Santo desde 1999.

Atelier: Av. Ranulpho Barbosa dos Santos, 587, sala 101, Jardim Camburi, Vitória-ES.   Tel. 3337-2678 /99962-2130.  E-mail: escritoriodearte.dayseresende@gmail.com
 Apoio 



Comente com o Facebook: