Performar: o cotidiano como lugar da experiência


Acontece hoje na UFEs Oficina Performar: o cotidiano como lugar da experiência

A performance consiste em comportamentos duplamente exercidos, codificados e transmissíveis. A partir de rituais cotidianos, como andar, comer e falar, iremos pensar a relação corpo, arte e mundo. A vida como ato performativo. Com: Ana Cecília Soares e Júnior Pimenta.
 
Ana Cecília Soares, é crítica e curadora independente, editora da revista Reticências... e mestranda em artes na UFC, com pesquisa sobre resignificação do ritual na performance contemporânea.

Júnior Pimenta, é artista visual . Tem um posicionamento de artista-etc, que também faz curadorias e é editor da revista Reticências... Mas tudo com um pensamento de artista, onde todas as atuações se contaminam.


Oficina “Grupo Reticências de Fortaleza”. Hoje, dia 2 de junho.
Local: galpão de Escultura, DAV (Depto. de Artes Visuais) da UFES (Universidade Federal do Espírito Santo). 13h.
A oficina faz parte do projeto Independência: quem troca?
A versão capixaba do Independência: quem troca? Acontece neste dias 2, 3 e 4 de junho.

A revista Reticências... crítica de arte

 O “Reticências” é uma iniciativa do Grupo OVO. O Grupo é constituído pelo artista visual Júnior Pimenta e pela jornalista Ana Cecília Soares, que vêm atuando desde julho de 2008, por meio de ações alternativas que induzam a experimentação da linguagem e da expressão artística.

Considerações à parte, convidamos a todos a mergulhar no emaranhado das reticências, pois, afinal, são três simples pontinhos e nada mais...

São três simples pontinhos e nada mais... A estrutura que dá corpo aquele que é o ponto ortográfico mais enigmático da língua portuguesa: As Reticências. Por trás delas há mundos de “querer dizer”, punhados de ambigüidades incandescentes, interpretações e intenções que deságuam nas fronteiras de um lugar chamado infinito.

É dessa semiose circundante, cuja natureza propulsora é a imaginação, que emerge o site Reticências... Crítica de Arte, o qual já traz em sua própria nomenclatura a idéia de algo para ser livre e aberto ao mundo.

Assim, o site visa ser um campo de possibilidades do exercício experimental da linguagem escrita sobre arte contemporânea. Permitindo também tornar pública uma argumentação que se quer mobilizadora de novas maneiras de ser para arte e sua recepção.


Comente com o Facebook: