Amor pela pintura e a intensa relação de Sandra Resende com a Arte Sacra

Pintura Mural de Sandra Resende para o Santuário Nossa Senhora da Penha, Vila velha, Espirito Santo, Brasil.
Amor pela pintura e a intensa relação de Sandra Resende com a Arte Sacra

Uma criança que se aventura pela Igreja, percorrendo os olhos em cada pintura ali exposta. Obras de arte com seus relevos, formas e cores. Um outro mundo proposto, despertando a imaginação e o olhar. Como se fosse a descobridora das artes, a menina se perdia durante as missas que frequentava na Matriz Nossa Senhora da Piedade, na cidade de Barbacena, Minas Gerais.

 Com quadros de grande proporção, lustres encantadores e imagens, a Matriz fisgava os olhos da garotinha, que ainda não entendia bem o que era uma pintura, segundo conta a própria protagonista, hoje artista plástica, Sandra Resende Fortes:


“Sempre tive uma relação com a religião. Mas na minha visita à Igreja, o que me chamava a atenção eram mais os quadros do que a própria missa. Eu ficava impressionada com a beleza dos Afrescos, das tela de padres que eram retratados em tela, olhava os detalhes dos panejamentos da roupas das imagens. Eram maravilhosos!”
Afresco do Santuário Nossa Senhora da Piedade

A Matriz Nossa Senhora da Piedade, uma típica igreja barroco de minas Gerais não era a única tela viva de Sandra. Todas as igrejas que visitava, atraiam seu olhar. Esse contato despertou a menina de meros 12 anos de idade para uma intensa relação com a pintura, que perdura ininterruptamente até os dias atuais.
Igreja Matriz Nossa Senhora da Piedade que completou 270 anos do início da construção, em 15 de setembro de 2013.

Despertar

Encantada, Sandra passou a fazer cursos e oficinas, em busca de aprimorar seus conhecimentos sobre arte. Praticava horas a fio o desenho de objetos e paisagens. Para reforçar a técnica, pintava santos e anjos de barrocos de gesso e madeira, imagens barrocas que chamavam sua atenção nas cidades mineiras na década de 70 e 80. Contudo, sua relação mais intensa com a arte religiosa contemporânea e sacra teve início somente quando a artista já residia em Vitória, no Espirito Santo.

Em meados dos anos 90, Sandra Resende passou a trabalhar suas pinturas para encontros e eventos religiosos. Anjos e Panôs para o terço do Convento da Penha durante a festa da Padroeira do estado; Nossa Senhora da Penha pintada em tecidos para bandeira; estamparia do rosto de Cristo autoral. Foram inúmeros trabalhos realizados pela artista para as Igrejas da Grande Vitória.

Sandra era procurada pelas comunidade pelo fato de, além de pintora, ter uma forte relação com a fé. Estas duas características da artista - pintura e religião -, aos poucos a levaram a ser reconhecida no âmbito da arte sacra. Um reconhecimento que culminou no encontro de trabalhos ainda maiores, técnica e simbolicamente.

Além de realizar trabalhos de arte sacra e exposições individuais ou coletivas, Sandra Resende também coordenava seu atelier, no bairro Jardim Camburi, em Vitória, ministrando aulas sobre pintura. Vizinhos estavam acostumados à movimentação rotineira na casa da artista, com suas oficinas e alunos.

 Foi assim que, uma arquiteta, também vizinha de Sandra, conheceu o seu trabalho. “Ela passava e me via pintando, viu o trabalho que também desenvolvi para a Paróquia Sagrada Família do bairro: um cálice e o rosto de cristo em um painel em tecido. Então a arquiteta achou que eu daria conta de fazer a leitura conceitual e formal para o projeto iconográficos de algumas Igrejas e santuários que ela tinha posto em seus projetos ”


A leitura conceitual a que Sandra se refere é a pintura do painel e da capela da Igreja Coqueiral de Aracruz a Paróquia Imaculada Conceição, no município de Aracruz, norte do estado. Convidada pela arquiteta Katia Pezzin, a artista foi responsável pelo projeto iconográfico da igreja assim como, representar a comunidade daquela região em sua pintura. Foi a primeira Igreja pintada integralmente por Sandra. O tema do presbitério foram os doze apóstolos, tendo a imagem de Cristo no centro. Para a capela, a artista trabalhou os dois anjos em uma posição que vai de encontro ao santíssimo com veste e o turíbulo com temática indígena.

 A Igreja e a comunidade

 O convite foi o precursor de uma outra intensa relação de Sandra Resende, agora com a pintura de arte sacra. Sandra passou a fazer cursos especializados, procurando obter maior conhecimento sobre os conceitos teológicos, técnicos e regras. A artista observa que todo o processo de produção de uma obra de arte sacra requer uma pesquisa aprofundada, que envolve toda a comunidade daquela Igreja ou Paróquia.

“Tudo vai de acordo com a comunidade e com as normas da CNBB. Você não pode inventar nada, porque tudo é litúrgico e simbólico” 

Comunidade de Coqueiral de Aracruz, Aracruz, ES.

 Antes de executar uma obra, Sandra Resende pesquisa as características do bairro e de sua comunidade, que são posteriormente inseridas na pintura. Para a Igreja Coqueiral de Aracruz, a artista fez referência aos índios na obra. “O bairro Coqueiral de Aracruz está inserido em uma comunidade indígena. Trabalhei a roupa dos apóstolos e a roupa do anjo dentro desse tema. Trabalhei bem a cores terrosas na capela, que faz uma ligação: terra, santíssimo, humano”, explica.



 Equilibrada no uso de cores para os trabalhos de arte sacra, Sandra comenta que prefere executar paineis tranquilos, com uma paleta nos tons de ocre, amarelo e azul - estes, representam o rio da vida, da água. A artista inicia sua pesquisa com uma visita à região, buscando características como localização, história, moradores, economia local, cultura. Sandra comenta que é preciso sentir a comunidade para captar sua essência, sua mensagem. “Isso eu acho real: você chegar para pintar um painel onde a comunidade está expressa junto”.

Recordando aquela menina que nunca prestava atenção na missa, direcionando o olhar para as telas da Igreja, a artista utiliza o mesmo argumento para a serenidade de sua pintura religiosa: “Eu acho que o painel tem que estar presente, mas ele também não pode tirar atenção do objetivo pelo qual a pessoa está ali dentro, que é para assistir a missa, rezar”.
painel em Azulejaria da Fachada do Santuário Nossa Senhora de Fátima, Serra, Espirito Santo.

Sandra, no entanto, exerce dois papeis simultâneos quando presente em uma Igreja. Uma artista plástica que é cristã, e outra de artista plástica que pões seus conhecimentos e aptidões serviço da arte sacra no presbitério ou capela que executa; uma cristã que é artista, onde dedica seu trabalho aos mistérios e encantos da pintura sacra. Como uma ponte, que depende dos dois caminhos para manter o equilíbrio sobre as águas da vida.

Pintura e religião. Dois amores despertados ainda na infância de Sandra Resende que atuam juntas, levando a arte para mais de 30 Igrejas, distribuídas no estado do Espírito Santo. Hoje, são outras crianças que descobrem os encantos da pintura entre as obras religiosas. Sandra, no entanto, continua a descobrir a si mesma quando utiliza a sua ponte como inspiração.


Texto Dayse Resende e Ana Luiza Calmon.

Alguns trabalhos
Conheça o trabalho da artista
http://www.dayseresende.com/p/sandra-resende.html
Arte Sacra

http://artesacra-eadr.blogspot.com.br

Comente com o Facebook: