Exposição celebram 40 anos de carreira de Ronaldo Barbosa


As obras de Ronaldo Barbosa em papel Fabriano feitos com lápis de cor, grafite e bastão a óleo tratam de uma espécie de crônica da vida social contemporânea.

O encontro da arte e do design e a capacidade de fazer conexões culturais entre o Brasil e o mundo são algumas marcas do trabalho de Ronaldo Barbosa, um capixaba que com toda pluralidade de sua obra completa 40 anos de carreira, em plena atividade e vigor.

Pioneiro do design no Estado, o artista, designer e gestor cultural, celebra as quatro décadas do seu percurso profissional com um pacote de homenagens preparado em parceria com um time formado por grandes nomes do cenário cultural do Brasil. Com um trabalho primoroso, olhar sensível e muito criativo Ronaldo Barbosa colocou o Espirito Santo na cena Cultural Brasileira como gestor cultural do Museu Vale, que é considerado uma referência em arte contemporânea no País.

No dia 17 de agosto, será aberta a exposição “RB40 – Ronaldo Barbosa 40 Anos de Arte e Design”, no Palácio Anchieta, com apoio institucional do Governo do Estado do Espírito Santo, do Instituto Sincades e das empresas Vale e ArcelorMittal.


RESGATADOR DE HISTÓRIAS

A preocupação de Ronaldo Barbosa de se aproximar ainda mais da identidade cultural capixaba começou a partir de sua ida para Pedra Azul, há 21 anos. Lá, passou a se interessar pela rica história da imigração pomerana e italiana no Estado, criando a residência do artista no Morro do Canário e dando um novo uso a uma casa pomerana de 120 anos, transportada e reconstruída para a sua propriedade. Com o objetivo de preservar este importante patrimônio, há 15 anos Ronaldo vem adquirindo construções de arquitetura vernacular, sendo um grande defensor da manutenção destas casas e da cultura local.

Além disso, atua como presidente do conselho deliberativo do Instituto Jutta Batista da Silva, do qual é voluntário há mais de 20 anos e também conselheiro do Ibran (Instituto Brasileiro de Museus). Tudo isso e muito mais poderá ser conferido nas 360 páginas do livro, que contou com um ano de pesquisas e entrevistas.



SOBRE A EXPOSIÇÃO

Toda a história contada no livro poderá ser conferida na exposição do Palácio Anchieta, que ficará em cartaz até o dia 12 de novembro. Na mostra, o público conhecerá as fases mais marcantes do artista e designer e terá a chance de viver uma experiência repleta de surpresas, atrelada à história do Espírito Santo e de outros estados.

A produção de Ronaldo, cuja obra faz parte do capital econômico dos anos 1980, ocupará sete salas do Palácio. O fio condutor da mostra será o desenho, que transita por sua trajetória como designer e artista. Todos os seus projetos passam primeiramente pelo desenho e depois é que tomam forma nos processos tecnológicos. “O desenho é uma constante em minha carreira. Cada trabalho feito até hoje começou a partir de um desenho”, conta Ronaldo.

As instalações serão compostas por um acervo cuidadosamente selecionado pelo próprio Ronaldo e por sua equipe do Studio Ronaldo Barbosa, que ajudou na seleção dos projetos de design. Cerca de 70 obras vão representar sua produção artística desde 1969 até os dias de hoje, incluindo peças de acervos particulares, como das empresas Fibria e ArcelorMittal. A exposição também apresenta trabalhos produzidos para a Davies Long Gallery, uma importante galeria de Los Angeles, onde Ronaldo viveu e trabalhou na década de 1980.

Em um painel de 18 metros lineares serão expostas todas as marcas criadas pelo Studio Ronaldo Barbosa – 240 ao todo. Entre elas, dois cases icônicos do Estado: as reformulações das marcas da TV Gazeta (2006) e do Banestes (2012). Também serão expostos os projetos de design dos museus.

Outros trabalhos poderão ser revisitados, como o Espaço Brasil na França, um projeto realizado em Paris em 2005, os projetos dos Centros de Memórias (Garoto, Ultragaz, Águia Branca, Mineração do Rio do Norte, CST, Fundação Dom Cabral e Copersucar União).

Pedra Azul, Papel fabriano,_ Ronaldo Barbosa
A mostra será aberta com trabalhos atuais de Ronaldo. As obras em papel Fabriano feitos com lápis de cor, grafite e bastão a óleo tratam de uma espécie de crônica da vida social contemporânea. Outro momento marcante será a Suíte Pedra Azul, série de cinco desenhos do cartão postal capixaba, uma revelação do olhar contemplativo e de reflexão que Ronaldo tem sobre seu refúgio.

Na última sala será exibido um vídeo produzido por Lupino e ClaraBoia. Para produzir o material e entender o resgate da arquitetura rural do Estado, a equipe passou por uma imersão na montanha e acompanhou o cotidiano do ateliê de Ronaldo.

Também serão apresentados os mais recentes trabalhos desenvolvidos em conjunto com comunidades de artesãs espalhadas por onze municípios da região serrana do Estado, que fazem parte do Instituto Jutta Batista da Silva. São mais de mil mulheres que trazem de seus descendentes europeus, sobretudo italianos, um vigoroso espírito de coletividade.

Ao longo da mostra serão realizadas visitas guiadas e trabalhos com escolas, com a ajuda de monitores, que vão dar um significado também didático ao material artístico de Ronaldo Barbosa. Será, sem dúvida, uma rica viagem pelos 40 anos da trajetória deste capixaba, um dos mais expressivos profissionais da arte e do design no cenário brasileiro.

Comente com o Facebook: